terça-feira, 29 de maio de 2018

Clima de incerteza leva cidades a decretarem situação de emergência

O clima de incerteza diante da continuidade ou não da greve dos caminhoneiros após anúncio de medidas em benefício da categoria feito pelo governo fez com que mais prefeituras da região decretassem situação de emergência. Em pelo menos duas cidades, foram criados comitês de gestão de crise. Em dois grandes hospitais, cirurgias eletivas foram suspensas. Os pontos de bloqueio nas rodovias também aumentaram.
Além de Borborema e Botucatu, que já haviam decretado situação de emergência na semana passada, o JC apurou que Agudos, Bocaina, Cabrália Paulista, Dois Córregos, Jaú, Lençóis Paulista, Macatuba e Pederneiras também recorreram à medida.
Em Agudos, além do circular gratuito, a coleta de lixo e horário de expediente nas repartições públicas foram reduzidos e apenas os serviços essenciais estão mantidos.

Em Bocaina, aulas nas escolas públicas municipais e atividades no Espaço Amigo e Centro de Convivência do Idoso estão suspensas a partir desta terça-feira (29) por falta de gás de cozinha para merenda escolar e alimentação dos assistidos e de combustível para abastecer os veículos de transporte. As viagens para consultas médicas também estão suspensas, com exceção de quimioterapia, radioterapia e hemodiálise. 
Em Dois Córregos, empresas que vendem combustíveis deverão priorizar abastecimento da frota municipal que atua em serviços essenciais, como saúde, educação, coleta de lixo, segurança pública e conselho tutelar. Em Jaú, os postos de combustível também deverão dar preferência para o abastecimento de veículos de setores considerados essenciais e a prefeitura poderá comprar insumos básicos sem licitação.
A coleta de lixo na cidade será suspensa na quarta e quinta-feiras (30 e 31). Na sexta (1), ela será feita do lado direito do Rio Jaú e, no sábado (2), do lado esquerdo do rio. Também em Jaú, a Faculdade de Tecnologia (Fatec) suspendeu as aulas ontem, com retorno marcado para 4 de junho. Em Lençóis Paulista, a prefeitura também poderá adquirir combustível e bens para manter serviços essenciais sem licitação.
Assim como em outras cidades, o decreto de emergência garante a prioridade no abastecimento da frota que atende serviços públicos essenciais. Em Pederneiras, as aulas do ensino fundamental serão suspensas a partir de hoje e os postos também ficarão obrigados a priorizar o atendimento dos serviços públicos essenciais. O transporte emergencial de pacientes para outras cidades e a coleta de lixo estão mantidos.
ECONOMIA
Em Mineiros do Tietê, a prefeitura também reduziu o expediente nos órgãos públicos, com exceção da saúde, e suspendeu as aulas nas escolas públicas e o transporte de alunos entre os dias 29 de maio e 4 de junho. A coleta de lixo não sofreu alterações. As ambulâncias estão atendendo apenas casos emergenciais e as viagens para procedimentos médicos em Bauru e Botucatu serão realizadas apenas uma vez por dia.
Em Santa Cruz do Rio Pardo, continuam suspensos as coletas seletiva e de lixo comum, o transporte universitário e a entrega dos leites dos programas Leite do Idoso e Leite da Criança. As máquinas do município também continuam recolhidas para economia de combustível.
COMITÊS DE CRISE
Em Botucatu, Lins e Macatuba, foram criados comitês de gerenciamento de crise e de logística em razão do desabastecimento de bens e produtos de primeira necessidade com o objetivo de manter os serviços essenciais. Na primeira cidade, ficou definido a organização de comboios, juntamente com os donos de postos, para que os veículos sejam carregados com combustíveis e gás, e possam, com escolta da Polícia Militar (PM), atravessar pontos de manifestação.
A prefeitura também irá adiantar o vale-alimentação dos servidores para hoje. Em Lins, a prefeitura assegurou a normalidade dos serviços de coleta de galhos, lixo, ambulância, transporte escolar e serviços essenciais até quarta-feira (30). Procedimentos de saúde em Bauru e Botucatu estão mantidos. Já as consultas não emergenciais em São Paulo estão sendo reagendadas e apenas exames laboratoriais de emergência são realizados devido à falta de insumos.
CIRURGIAS CANCELADAS
Em razão da paralisação dos caminhoneiros, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) suspendeu temporariamente realização de cirurgias eletivas. "O HCFMB reitera seu compromisso em preservar e atender o paciente e, por isso, toma medidas cautelares, priorizando os atendimentos de urgência e emergência, conforme preconiza o SUS", informou em nota. A Santa Casa de Marília também informou que adiou 16 cirurgias eletivas marcadas para essa segunda-feira (28) em razão do desabastecimento de insumos, medicamentos e combustível.
Além dos pontos de bloqueios de caminhoneiros montados desde a semana passada às margens de rodovias e no pátio de postos de combustíveis em Igaraçu do Tietê, Torrinha, Botucatu, Santa Cruz do Rio Pardo, Agudos, Cabrália Paulista, Pederneiras e Bariri, nesta segunda-feira (28), de acordo com a Polícia Rodoviária, foram registrados novos locais de paralisação no km 371 da rodovia Cezário José de Castilho (SP-321), no trevo de Arealva, e na rodovia Lourenço Lozano (SP-293), na entrada de Cabrália Paulista. (Fonte: JCnet)

Nenhum comentário:

Postar um comentário